A Catedral de Gelo – Parte I: A Expiação de Kastra

nekoffee

"Assim sempre foram as Montanhas Uivantes, onde os fracos não possuem nenhuma chance de sobreviver e ainda são humilhados pela imponência deste local inóspito"

O vento sopra de forma agressiva, com o objetivo de empurrar, de congelar até os ossos qualquer um que ouse transpor pelas colunas montanhosas e gélidas.  Neve por todos os lados como lufadas furiosas com o intuito de cegar qualquer pessoa. Penhascos que cortam e desafiam o abismo, em uma queda infinita e agonizante. Assim sempre foram as Montanhas Uivantes, onde os fracos não possuem nenhuma chance de sobreviver e ainda são humilhados pela imponência deste local inóspito.

Em meio a toda essa paisagem branca e desesperadora, uma mulher mais que devidamente empacotada lutava com todas as forças que lhe restavam, apertando contra seu peito um pacote de lã de mamute albino. Seus passos eram instantaneamente cobertos pela intensa tempestade de neve que engolfava tudo ao redor. Sua força vinha da determinação de salvar o que estava em seus braços, pois o corpo já havia morrido há tempos, juntamente com seu marido que a protegeu do ataque dos místicos lobos das estepes.

Nekoffee

"Seu corpo já havia morrido há tempos, juntamente com seu marido que a protegeu do ataque dos místicos lobos das estepes"

Cristais de gelo já formavam ao redor dos olhos, o cabelo negro já endurecido e quebradiço com o frio intenso, os lábios partidos e o canto da boca sangrando, com manchas coaguladas que criavam novos ferimentos na face delicada da jovem mulher que batalhava contra a subida desta agressiva montanha. As roupas de frio pesadas nesse atual momento aumentavam mais o sofrimento ao invés de ajudar. O corpo anestesiado pelo frio já caminhava de forma automática ao encontro de seu destino. A Catedral de Gelo.

Esperança era o único incentivo que deixava viva Kastra, chegar à Catedral era o único objetivo, pois lá ainda restava um fio de esperança. Mas ela não queria se salvar, ela queria salvar outra coisa. E cada vez que ela se aproximava do topo daquela montanha ela apertava cada vez mais o pacote entre seus seios, tentando puxar do fundo de sua alma um pouco de calor que ainda existia dentro dela.

Quando enfim, ela conseguiu avistar aquele monumento esculpido no gelo da montanha, rodeada por um jardim de estátuas que mais pareciam estar vivas sobre suas glaciais camadas solidificadas, aquela arquitetura gótica cristalina que reluzia com o pouco dos raios de sol que ali batia, decompondo-se num leque de cores, Kastra pode, enfim, deixar uma lágrima cortar sua face, que logo congelou, tornando-se um cristal azul que caiu sobre o pacote.

De dentro do pacote saiu uma pequena mão, pálida, e segurou a gema azulada e não soltou mais, mesmo com todo o frio ao redor, o pequeno membro não tremeu nem pareceu sentir, pois aquele objeto que ele segurava era algo importante para ele, e ele o sabia mesmo que inconscientemente. Kastra imediatamente o cobriu com a manta e esperou diante do faraônico monumento.

Não demorando muito as grandes portas da Catedral se abriram com um grande rangido, toda a montanha parecia tremer e gemer com a abertura daquele prédio esquecido nos confins das Uivantes. Para surpresa e alívio, de dentro saiu um sopro morno, porém, depois de instante ela percebeu que aquele calor era algo maligno, mas ela teria que arriscar tudo, se quisesse que seu filho sobrevivesse.

nekoffee

"O corpo anestesiado pelo frio já caminhava de forma automática ao encontro de seu destino. A Catedral de Gelo."

— * —

Í N D I C E

Primeiro Capítulo: A Catedral de Gelo – Parte I e Parte II

Segundo Capítulo: A Morada do Gênio – Parte I

Anúncios

Sobre Krizzor

Nerd, otaku, rpgista e tudo mais que seja desse multiverso xD e com orgulho!
Esta entrada foi publicada em Contos, RPG com as etiquetas , , , , , . ligação permanente.

10 respostas a A Catedral de Gelo – Parte I: A Expiação de Kastra

  1. Kellyanne diz:

    Finalmente o comecinho dessa cronica q manel promete a anos ja. Agora quero o resto! Tah muito bom soh o comecinho… imagino o resto da historia XD

  2. Marco diz:

    Um lugar hostil e inóspito. Uma tragédia fria e sombria. O palco está montado para que sejamos agraciados com a saga de um grande herói. Nas trevas brancas onde somos despidos de todo o véu de sentimentos que nos torna humanos, emergimos gélidos, afiados e perigosos como os dentes das montanhas que juramos proteger.

    Que os deuses tenham piedade. Que a Dama Gelada nos abrasse com suas asas.

  3. MIL PERGUNTAS SURGEM EM MINHA MENTE…de onde está vindo Kastra? seu filho já tinha a capacidade de resistir ao frio? essa capacidade e uma herança de seu pai? eles são humanos comuns ou possuem algum Dom especial? tu vai precisar escrever a origem da origem de krizzor…hehehe.
    adorei o texto tó na expectativa, depois de ler J.R.R. Tolkien, Bernard Cornwell, e George R.R. Martin quero ver se tu ainda consegue fazer minha cabeça explodir como nas saudosas aventuras de RPG. 🙂

  4. Ana diz:

    Adorei!!! É a historia de Krizzor? Estou esperando ansiosa para ler o resto.
    =D
    Ps: Estou terminando Game of Thrones. HÁ!!!=D

  5. rafael ta pirando ai ,mas confesso que as dúvidas surgiram aos montes,essa historia que manoel demorou 1039201831 anos para escrever,mas ta show,esperando a parte 2!!!

  6. Pingback: A Catedral de Gelo: Parte II – O Primeiro Batismo | Nekoffee

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s